Evolução dos touros Gir Leiteiro em teste de progênie

O teste de progênie é uma ferramenta para identificação das capacidades preditas de transmissão (PTA) de touros de raças leiteiras. No caso do Gir Leiteiro, este teste começou a ser executado em 1985 e, no ano de 2017, os resultados do 25 grupo de touros foi divulgado no Sumário Brasileiro de Touros[1]. Até o presente, 375 touros foram avaliados.

O teste de progênie não é, isoladamente, um programa de melhoramento genético. Ele é um componente importante do programa e a utilização mais intensa dos touros com as melhores PTAs, bem como a pré-seleção dos candidatos ao teste com base em critérios técnicos eficientes, são fundamentais para a evolução genética em qualquer raça. A evolução genética é sinônimo de tendência genética, um termo rotineiramente utilizado nos programas de melhoramento para quantificar a mudança nas médias das PTAs ao longo do tempo.

A análise das PTAs para produção de leite dos touros em teste (Figura 1) revelou aumento de 10,24 kg/grupo nas médias das PTAs. Esse valor representa 0,33% da média de produção de leite em 305 dias de lactação da base de dados utilizada para realização das avaliações (3.065 kg), e pode ser interpretado como a diferença nas médias das PTAs de touros de grupos subsequentes.

Figura1Site

Figura 1. Capacidades preditas de transmissão para produção de leite em 305 dias de lactação (PTA Leite) de touros Gir Leiteiro (pontos) e tendência genética (linha azul) em função do grupo de teste. As análises foram realizadas com os resultados divulgados no Sumário Brasileiro de Touros[1].

 

O aumento da tendência genética no grupo de touros em teste implicará, também, em aumento na tendência genética na raça como um todo. Portanto, é muito importante manter o rigor na pré-seleção dos touros para garantir que a média da PTA dos touros que estão entrando no teste seja superior a média da PTA dos touros dos grupos anteriores. Mas como conseguir isso?

Não existe resposta única. Tampouco existe uma resposta certeira. Existem alternativas para aumentar a chance de sucesso. Uma delas é a pré-seleção dos touros a partir da análise do valor genético das mães. Outra é a utilização de ferramentas genômicas para predizer o valor genético dos candidatos ao teste de progênie. Felizmente, essas duas alternativas já são utilizadas para a pré-seleção de touros Gir Leiteiro para o teste de progênie. Outra alternativa seria a escolha de indivíduos pertencentes às gerações mais avançadas de seleção. Por que isso funcionaria?

Por que as médias das PTAs dos touros de gerações mais avançadas são maiores que as médias das PTAs dos touros de gerações anteriores (Figura 2).

Figura2Site

Figura 2. Capacidades preditas de transmissão para produção de leite em 305 dias de lactação (PTA Leite) de touros Gir Leiteiro (pontos) e tendência genética (linha azul) em função da geração. As análises foram realizadas com os resultados divulgados no Sumário Brasileiro de Touros[1] e genealogias conhecidas dos touros avaliados. O ponto vermelho representa a PTA do touro B805 C.A. Everest. Os pontos da cor laranja representam as PTAs dos filhos do touro B805 C.A. Everest. O ponto azul representa a PTA do touro KCA472 C.A. Sansão. Os pontos verdes representam os filhos do touro KCA472 C.A. Sansão.

 

As Figuras 1 e 2 demonstram a evolução dos touros Gir Leiteiro em teste de progênie, mas utilizando-se escalas de tempo diferentes. Na primeira, a escala de tempo é cronológica e avaliada com base no grupo de teste. Na segunda, a escala refere-se ao número de gerações de ancestrais conhecidos. Aqueles animais de genealogia desconhecida compõem a geração zero. Seus filhos compõem a geração um e assim por diante. A sobreposição de gerações (acasalamentos de pais pertencentes a gerações diferentes) implica no surgimento de animais de gerações intermediárias (por exemplo: 1,5; 3,8; etc.). Portanto, se a seleção é realizada ao longo das gerações, as médias das PTAs dos animais das gerações mais avançadas devem ser maiores que as médias das PTAs dos animais das gerações anteriores. No caso dos touros Gir Leiteiro em teste, a estimativa da diferença nas médias das PTAs de touros de duas gerações seguidas é de 52,74 kg de leite, ou 1,72% da média da produção de leite em 305 dias de lactação. As tendências genéticas por grupo (ano de teste) ou por geração não são diretamente comparáveis por que são expressas em escalas de tempo diferentes. Ainda não é possível evoluir uma geração em um único ano.

Outras informações podem ser extraídas da Figura 2. Quando um indivíduo de grande mérito genético é encontrado, faz menos sentido tentar refazer acasalamentos na expectativa de obter um irmão completo (pertencente a mesma geração) ou meio-irmão melhor que ele do que utilizá-lo em novos acasalamentos para a produção de filhos de gerações mais avançadas e de méritos genéticos superiores. O touro B805 C.A. Everest (ponto vermelho na Figura 2) produziu um filho de grande mérito genético, o touro KCA472 C.A. Sansão (ponto azul na Figura 2). Vários filhos do touro C.A. Everest foram testados no teste de progênie (pontos da cor laranja na Figura 2) e nenhum conseguiu superar o C.A. Sansão. Por outro lado, já foram identificados dois filhos do touro C.A. Sansão com méritos genéticos superiores ao do pai. Ainda, vários filhos de C.A. Sansão (pontos verdes) possuem méritos genéticos superiores aos méritos de seus tios (pontos em laranja). Ou seja, os méritos genéticos dos netos do touro C.A. Everest são melhores que os méritos genéticos de seus filhos. Portanto, é importante testar touros de gerações mais avançadas a cada ano. E de quais gerações são os touros participantes do teste de progênie do Gir Leiteiro?

A cada novo grupo de touros, a média do coeficiente de geração dos candidatos está aumentando (0,0949 geração/grupo), mas existe grande variação dos coeficientes de geração dentro de um mesmo grupo (Figura 3). Por exemplo: entre os touros cujas PTAs foram divulgadas em maio de 2017, há indivíduos pertencentes às gerações 2,4 e 6,4.

Figura3Site

Figura 3. Coeficientes de geração de touros Gir Leiteiro (pontos) e médias estimadas (linha azul) em função do grupo de teste.

 

É importante destacar que alguns animais, a despeito de pertencerem a gerações menos avançadas (menor que 4), são provenientes de rebanhos que realizam controle leiteiro e seleção há muito tempo, mas iniciaram o registro genealógico e controle leiteiro oficial apenas recentemente. Por outro lado, existem animais de gerações mais avançadas, mas provenientes de rebanhos com muitas gerações de registros oficiais e com critérios de seleção que não privilegiaram a produção de leite. De qualquer forma, os resultados apresentados corroboram a necessidade de considerar o coeficiente de geração dos candidatos ao teste durante a pré-seleção.

A análise conjunta dos méritos genéticos das mães de touros, das informações genômicas e dos coeficientes de geração dos candidatos ao teste de progênie contribuirá para aumentar a diferença das médias das PTAs dos touros de grupos subsequentes. O coeficiente de geração é obtido de maneira simples, basta conhecer o pedigree dos candidatos ao teste. Mas planejar e executar os acasalamentos para produzir touros Gir Leiteiro de gerações mais modernas exige o abandono de modismos e a coragem que só os selecionadores visionários possuem.

 

Texto extraído do Programa de Melhoramento Genético 2B, Resultado da avaliação genética de vacas Gir Leiteiro, 2ed., 2017.

Referência:

[1] Programa Nacional de Melhoramento do Gir Leiteiro – Sumário Brasileiro de Touros – Resultado do Teste de Progênie – 8 Prova de Pré-Seleção de Touros – Maio 2017 / João Cláudio do Carmo Panetto … [et al.]. Juiz de Fora: Embrapa Gado de Leite, 2017. 96p. (Embrapa Gado de Leite. Documentos, 202).

Casa cheia durante a Superleite 2016 para a palestra sobre melhoramento genético.

Pompéu é a Capital Mineira do Leite. Anualmente, o Sindicato Rural de Pompéu organiza a Superleite, considerado o maior evento do agronegócio do Centro-Oeste mineiro. Ao longo da programação ocorrem palestras técnicas sobre diferentes temas de interesse. No último dia 20 de julho, aconteceu a apresentação sobre Melhoramento genético de bovinos leiteiros: estratégias para utilização de vacas F1. O material da apresentação pode ser acessado aqui (ApresentacaoSuperleite2016). Mais de 400 pessoas estiveram presentes. As fotos são da equipe organizadora do evento.

Lançamento do PMG2B. Primeiro Sumário de vacas Gir Leiteiro.

ZAB 635

O Programa de Melhoramento Genético 2B (PMG2B) foi apresentado ao público no dia 22 de junho de 2016, durante a MegaLeite. O PMG2B começou a ser planejado e desenvolvido em 2010, na Fazenda Cachoeira, em Ferros – MG. O Programa, idealizado e coordenado por José Afonso Bicalho e Adriano Bicalho (Agronegócios 2B) e Fabio Toral (UFMG), foi delineado para identificação de vacas Gir Leiteiro com maior potencial para geração de lucro.

Todos os animais do PMG2B são manejados e avaliados em condições ambientais semelhantes àquelas existentes em grande parte dos rebanhos leiteiros. Os animais da mesma categoria recebem sempre as mesmas condições de manejo, para que as diferenças genéticas entre eles sejam identificadas com maior precisão. No Programa, são avaliadas características relacionadas com produção e qualidade do leite, reprodução e eficiência de produção.

No PMG2B, as vacas são selecionadas com base em seus valores genéticos preditos. Esse processo é mais preciso que a seleção baseada na avaliação fenotípica ou na avaliação com base na genealogia, apenas. Consequentemente, as mudanças genéticas são maiores. Apenas as vacas com alto potencial genético são classificadas como doadoras e submetidas a procedimentos especiais de reprodução, como a FIV.

O Sumário de Vacas Gir Leiteiro, que pode ser acessado aqui (CadernoPMG2B), é um dos produtos do PMG2B. Esse é o primeiro sumário público com os resultados das avaliações genéticas de vacas. Tal material é uma excelente ferramenta para identificação dos animais com maior potencial genético para características economicamente importantes e que, portanto, podem ser utilizados em maior intensidade nos rebanhos.

Consulte o Resultado da Avaliação Genética de Vacas Gir Leiteiro do PMG2B e veja mais detalhes sobre o projeto (CadernoPMG2B).

Sumário Brasileiro de Touros da Raça Pardo-Suíça – Edição 2016

O primeiro sumário com resultados da avaliação genética de touros da raça Pardo-Suíça, para produção de leite, foi apresentado aos criadores no dia 23 de junho de 2016, na Fazenda Monte Alvão, em Esmeraldas – MG. O material é o resultado de uma ação conjunta da Escola de Veterinária da UFMG, EPAMIG, SEAPA e Associação Brasileira de Criadores de Gado Pardo-Suíço e pode ser acessado aqui (SumarioPS2016). Esperamos que esse material seja útil para os criadores na promoção do melhoramento genético de seus rebanhos.LancamentoPardoSuica

Instalando R e RStudio

Aprenda a baixar o R gratuitamente e comece a trabalhar com essa ferramenta agora mesmo!!!

Você já fez inscrição no nosso curso? Se não fez, ainda dá tempo clicando aqui.

Caso já tenha feito inscrição ou não possa fazer no momento, mas deseja conhecer o R, use o tutorial abaixo para instalar na sua máquina e comece a trabalhar com essa incrível ferramenta!

O R é uma linguagem e ambiente computacional que pode ser baixado para seu computador pessoal de forma gratuita. A interface gráfica do R embora altamente eficiente é um pouco não-amigável, e, portanto, nós iremos trabalhar com um realçador de código chamado RStudio, que é um programa muito interessante que facilita o uso do R e traz uma série de ferramentas novas para integração com outras linguagens, publicação de seus scripts ou aplicativos, entre outras. Nós precisaremos deles instalados em seu PC (ou Mac) para o curso que se inicia na próxima semana.

É recomendável que você faça isso em casa, ou em algum local com acesso wi-fi,  visto o tamanho dos arquivos e para evitar de chegar na aula sem o R devidamente instalado e funcionando no seu computador. Caso tenha alguma dificuldade, estaremos disponíveis a partir das 15h no local do curso e iremos te ajudar com a instalação.

Segue abaixo o tutorial para instalação. Veja como é simples!!

Instalação do R:

  1. Entre no site do CRAN [The Comprehensive R Archive Network, link para o CRAN] e clique em um dos links “Download (…)” apontado pela seta verde na figura abaixo de acordo com seus sistema operacional (Windows, Mac ou Linux).
    Slide1
  2. No meu caso a seleção foi Download R for Windows, e ele gerou a página abaixo, aonde você deverá clicar em “Install R for the first time“.Slide2
  3. Feito isto, basta clicar na versão de R que deseja baixar. É altamente recomendável que você baixe a versão mais recente. Ela estará na parte superior da página, na caixa cinza, conforme apontado na figura abaixo. Feito isto, o arquivo será baixado para sua pasta de downloads  ou para pasta que você tenha configurado a priori. Slide3
  4. Ao final do download, abra o arquivo e siga as instruções do instalador. Elas são bem simples, e seguem o padrão de instalação de outros softwares. Caso tenha dúvida nessa etapa, faça o download do arquivo deste link: Instalação do R. Trata-se de uma apostila com o passo a passo integral da instalação do R montado por estudantes da USP.

Instalação do RStudio

Assim como o R, o RStudio também é gratuito e poderá ser baixado conforme o tutorial a seguir:

  1. Acesse a Home Page do RStudio clicando aqui.
  2. Feito isto clique no campo com os dizeres “Download RStudio” conforme a figura abaixo. Slide4
  3. Na página seguinte, clique na versão “desktop” que irá te direcionar para o final da página (primeira figura abaixo), onde você irá clicar em “Download RStudio Desktop” (segunda figura abaixo)Slide5Slide6
  4. Por fim, clique na versão apropriada para o seu sistema operacional (A mais comum é a primeira, para Windows).Slide7
  5. Após o Download proceda a instalação da mesma forma que fez para o R.

A instalação trivial (default) do R e do RStudio é a forma mais simples de garantir um perfeito funcionamento dos dois softwares. Evite realizar instalações customizadas caso não seja familiarizado com os softwares!

Caso tenha alguma dúvida escreva um comentário abaixo.