Entendendo as acurácias dos valores genéticos e genômicos nas avaliações atuais

Foto Preta Ribeiro (7)

Foto: Preta Ribeiro.

Tatersal Rubico Carvalho, no Parque de Exposições Fernando Costa em Uberaba, cheio no dia 19 de agosto de 2019, para discussão do tema “Entendendo as acurácias dos valores genéticos e genômicos nas avaliações atuais”. A apresentação fez parte da programação técnica da 12ª edição da Expogenética.

Os valores genéticos são o somatório dos efeitos médios de substituição dos alelos que os animais possuem. Eles são preditos a partir da análise dos dados fenotípicos, genealógicos e de marcadores genéticos conhecidos – num processo chamado de avaliação genética. E existe uma estatística que representa a confiança que pode ser atribuída a estas predições – a acurácia. A acurácia pode ser utilizada como um indicativo de risco de mudança do valor genético predito de um animal, se mais informações forem adicionadas ao processo de avaliação genética.

Quanto maior a acurácia, menor o risco de mudança no valor genético predito. Quanto menor a acurácia, maior o risco de mudança (para pior ou para melhor) no valor genético predito. O conhecimento das implicações dos diferentes valores de acurácia podem ser utilizados por técnicos e selecionadores para controlar os riscos envolvidos com a utilização de animais de alto potencial genético – mas avaliados com baixa acurácia.

Além da palestra, os presentes participaram de uma rodada de discussões com representantes de diversos programas de melhoramento genético.

Foto Preta Ribeiro (50)

Foto: Preta Ribeiro.

O material apresentado durante a palestra pode ser consultado neste link.

Se tiver interesse, leia mais sobre a utilização de touros jovens com boas avaliações genéticas, mas de acurácias baixas clicando aqui.

Anúncios